Ur-Shulgi – Vampiro A Máscara🥇

Ur-Shulgi, arauto e mestre da tradição de Haqim, é o atual mais velho do clã Banu Haqim e o principal defensor do renascimento fundamentalista que está ocorrendo no clã. Segundo cria de Haqim, Ur-Shulgi é um ser de idade incrível e poder indescritível.

Perfil Resumido

Nome: Ur-Shulgi

Apelidos: O Pastor, O Pastor Negro, A Cria Odiosa, O Arauto de Haqim, O Sem Pele, Arauto da Destruição

Genero: Masculino

Nascimento: Entre  2.200 A.C. e 2000 A.C.

Abraço:  Na noite quando as pedras falaram e os céus choraram uma chuva de sangue

Clã: Assamita(?), Baali(?)

Geração: 4°

Senhor: Haquim

Crias: Al-Ashrad (século 1 D.C.)

Alianças: Crianças de Haquim

Status: Líder dos Filhos de Haqim

Biografia

” Viajei para a terra de nossos ancestrais e enfrentei o arauto. Ele é escuro e terrível – a fúria do seu céu e o fogo do seu inferno. Preto e impenetrável como a noite mais escura. ”
– Thetmes [1]

A única lealdade de Ur-Shulgi é para com seu senhor e remodelar o clã em uma forma mais digna de Haqim. Desde o despertar de 18 séculos de torpor, Ur-Shulgi tem se dedicado principalmente a eliminar as fraquezas do clã Assamita, notavelmente a adoção geral do clã do Islã e Assamitas cismáticos como Talaq e sua própria cria, al-Ashrad.

Ele está movendo o clã para um papel mais sombrio e sangrento (se isso for concebível), reinstaurando a Trilha do Sangue como a religião do clã e exterminando qualquer dissidente com extremo preconceito. Seus planos inabaláveis ​​levaram a um cisma no clã, particularmente entre as castas Vizir e Feiticeiro, com uma coleção de dissidentes sob al-Ashrad buscando refúgio na Camarilla.

O Passado

Em certos fragmentos do Livro de Nod, principalmente aqueles recuperados no Oriente Médio, aparecem passagens que falam dos deuses antigos – aqueles adorados pelos mortais que moravam na Segunda Cidade. Alguns desses nomes são familiares ao erudito Cainita das noites modernas: Ashur, Kel-nach, Enkidu, Rashadii. Alguns não têm correlação direta com nenhum outro registro da história dos Membros: Mancheaka, Nar-Sheptha, Sha’hiri e Ur-Shulgi. Este último nome aparece em quatro passagens separadas, e estudiosos Setitas inferem de seu contexto que é um avatar de um dos deuses da guerra da Segunda Cidade: o deus da guerra Haqim.

De acordo com a lenda, Ur-Shulgi apareceu pela primeira vez durante a Segunda Guerra Baali, virando sozinho a maré no conflito com seu comando sobre a magia do sangue. No relato mais comum dos Assamitas sobre a guerra, foi Ur-Shulgi quem destruiu os exércitos dos Baali, fazendo com que as próprias pedras gritassem e um rio de sangue fluísse. Ele fez sua primeira aparição para o clã depois, sua pele já queimada e seus olhos já perdidos.

Um conto sobre a origem de sua cria, al-Ashrad, conta que Ur-Shulgi conseguiu mediar uma discussão entre Haqim e o ainda vivo al-Ashrad e foi ordenado por Haqim a Abraçar o mago mortal como compensação por uma cria de Haqim que al-Ashrad havia matado em legítima defesa. Depois disso, sua figura desaparece dos contos Assamitas registrados, talvez ligados a seu longo torpor.

Despertando do Torpor

” Não existe independência na Jyhad. Só falta consciência dos próprios mestres. ”
– Ur-Shulgi

No final dos anos 90, Ur-Shulgi acordou e ficou muito descontente com o estado de seu outrora orgulhoso clã. Através de seu poder, ele quebrou a Maldição de Sangue dos Tremere e começou a testar as crias de Haqim, destruindo todos aqueles que se recusassem a se converter de volta aos velhos hábitos do Clã e da Trilha do Sangue. Além disso, ele interpretou a Lei do Julgamento das Leis de Haqim como significando que todos os outros vampiros (e muitos dos Filhos de Haqim) falharam em viver de acordo com os padrões de honra e integridade estabelecidos por Haqim nas noites da Primeira Cidade e devem ser destruídos antes que sua contaminação se espalhe, uma interpretação que os membros da facção legalista compartilham em um grau ou outro. Isso levou a uma confusão com outros Assamitas, mais notavelmente com sua própria cria, al-Ashrad.

O Cisma destruiu Alamut, alimentado apenas pelas descobertas de Sarah Schneier, um membro do Conselho dos Pergaminhos que foi destruído rapidamente por Ur-Shulgi após a publicação de suas descobertas. O próprio Ur-Shulgi permaneceu despreocupado com a partida dos Cismáticos, ao invés disso, conduziu estudos para acabar com a outra maldição que assola o Clã. Ur-Shulgi removeu a maldição Tremere lançada sobre os Filhos de Haqim, mas os Baali estão além de seu poder.

Linha do tempo do V20

O Livro Lore of the Clans parece fazer referência a esta seção indiretamente, referindo-se a uma profecia de um oráculo mortal que prevê o abate de Ur-Shulgi dos Filhos de Haqim, bem como rumores de um aumento da atividade Baali no Oriente Médio após os ataques de retaliação de nos Estados Unidos após o 11 de setembro, vários aparentemente atingindo o território Assamita e fornecendo cobertura para roubos de artefatos arqueológicos que datam da Segunda Cidade. [2]

Personalidade

Ur-Shulgi é o mago de guerra mais eficiente na face do planeta, embora ele não pense em si mesmo em termos tão simplistas. Na verdade, a maioria de seus processos de pensamento são completamente incompreensíveis para qualquer pessoa que não seja de sua idade e nível de poder. Para observadores externos, ele é a violência dada ao corpo físico, a vingança de Haqim sobre todos aqueles que se opõem à sua vontade. Ele se lembra da glória da Segunda Cidade e dos antigos deuses que andavam por lá.

Ele vê “Allah” como um arrivista cuja fé corrompeu a linhagem de Haqim, e ele deve mostrar a todos aqueles que o adoram o erro de seus caminhos ou purgá-los do rafiq. Quebrar casualmente a maldição que os Usurpadores lançaram sobre os Assamitas foi o primeiro passo nesta estrada, e aqueles intrometidos presunçosos serão os primeiros a cair diante do furacão que a Camarilla tentou acorrentar.

Aparência

” Em constituição, ele parece um jovem, talvez um adolescente, mas sua pele é marcada com veias laranja-avermelhadas da cor da lava que emitem uma luz que pulsa no ritmo da música. ”
– Diário da Jyhad de Beckett

O tempo não foi gentil com Ur-Shulgi, nem as devastações da besta dentro dele ou os numerosos inimigos que ele desafiou. Ele se parece com nada mais do que uma criança queimada e cheia de cicatrizes, um jovem deus nascido do fogo e da violência. Sua pele, negra como a obsidiana da idade, exibe uma rede de cicatrizes, algumas das quais choram sangue quando a metusalém fica agitada. Aqui e ali, pedaços de osso e tendão projetam-se sob sua pele, como se seu corpo tivesse sido esfolado. Além disso, os olhos de Ur-Shulgi foram arrancados ou queimados, embora ele afirme ser capaz de ver sem obstáculos. Quando se digna a se vestir, Ur-Shulgi usa caftãs e mantos de cores claras sem adornos, geralmente com um colar de osso ou âmbar.

Sua voz parece surgir das profundezas de um poço seco do deserto (surpreendentemente para alguns, Ur-Shulgi é perfeitamente fluente em qualquer idioma moderno ao qual é endereçado). Ur-Shulgi normalmente permanece imóvel quando conversa com suas crias ou outro Membro, a menos que deseje fazer uma afirmação retórica através de um flash de violência felino. Se for absolutamente necessário mudar de posição para fazer qualquer coisa que não seja matar, ele não se move tanto quanto pisca de um ponto a outro. É uma criatura de violência quase perfeita e não possui emoções ou outros atributos reconhecíveis como o humano que deve ter sido há mais de 80 séculos.

Curiosidades

  • De acordo com o material não oficial que foi removido da versão final do Clanbook: Assamite Revised, um membro do Conselho dos Pergaminhos chamada Sarah Schneier reuniu informações do Cofre dos Pilares, sugerindo que Ur-Shulgi foi Abraçado por Haqim em uma manobra estratégica para unir os díspar Baali em um exército regular, para que eles pudessem ser destruídos em combate aberto. O texto diz que, para realizar essa façanha, Haqim Abraçou um menino – um pastor de dez anos – que nasceu com uma alma já destinada à corrupção, e o jogou na cova do sacrifício que Saulot disse ter gerado o original Baali. Algo aconteceu com o neófito naquele lugar imundo e, por meio de seu poderoso sangue Cainita, os infernalistas finalmente conseguiram o líder de que precisavam para atacar em massa a Segunda Cidade. Diz-se que o Antediluviano Assamita estava em um de seus misteriosos desaparecimentos, mas conseguiu voltar para a Segunda Cidade a tempo de parar sua cria, o novo Pastor dos Baali, e arrancar o demônio do corpo que ele montava . Quando a batalha acabou, Haqim alegou que havia encontrado o menino morrendo no campo de batalha e que o Abraço era a única maneira de salvar aquela vítima inocente. No entanto, a mácula dentro da alma de Ur-Shulgi nunca desapareceu e mudou aquele Cainita em algo mais, e algo menos. [3]
  • O personagem recebeu o nome de uma pessoa real – Shulgi de Ur.

Ficha de Personagem

Existem vários motivos pelos quais a maioria das Características de Ur-Shulgi não recebe valores numéricos. Primeiro, o Matusalém Assamita ainda está sacudindo a poeira dos séculos, e ainda não está em plena capacidade operacional. Em segundo lugar, não importa quais são essas características – Ur-Shulgi é poderoso o suficiente para esmagar qualquer agressor, exceto outro Matusalém, sem esforço aparente. “Qualquer agressor” inclui qualquer grupo de personagens de jogadores azarados o suficiente para enfrentá-lo e tolos o suficiente para desafiar seu poder. Em terceiro e último lugar, Ur-Shulgi não quer que ninguém saiba a extensão de suas capacidades – o que está listado aqui é simplesmente o que demonstrou para as testemunhas sobreviventes até agora. No entanto, considere o seguinte: menos de uma semana depois de ser acordado por seu senhor, Ur-Shulgi tinha poder suficiente para desfazer casualmente um ritual lançado pelo poder combinado do Conselho Interno Tremere sem mais do que o mais leve esforço. Isso deve ser um bom indicador do que esta criatura pode realizar caso escolha (ou seja forçada) a dar o seu melhor.

Nome: Ur Shulgi, O Pastor

Clã: Banu Haqim/Assamita

Senhor: Haqim

Natureza: Tradicionalista

Comportamento: Fanatico

Geração: 4°

Abraço: Uma tradução das Parábolas de Sangue relaciona o Abraço de Ur-Shulgi com “a noite em que as pedras falaram e os céus choraram uma chuva de sangue”.

Idade Aparente: Indeterminado, embora o pequeno corpo de Ur-Shulgi sugira um jovem Abraço

Atributos Fisicos: Valores Desconhecidos

Atributos Sociais: Carisma e manipulação, Valores desconhecidos; Aparência 0, já que Ur-Shulgi não se preocupa em esconder sua forma a menos que esteja se preparando para atacar

Atributos Mentais: Valores Desconhecidos

Conhecimentos: Academicos (Historia) 9, Linguistica 9, Ocultismo 9, outros são desconhecidos.

Discplinas: Auspicios 8, Ofuscação 9, Quietus 9, Feitiçaria Assamita 9, outras são desconhecidas.

Caminhos Taumaturgicos: Desconhecidos, presumivelmente proficiência divina nas práticas antigas

Antecedentes: Desconhecidos

Virtudes:  Valores Desconhecidos; “tais armadilhas importam para um deus?”

Moralidade: Trilha do Sangue 10 (forma antiga)

Força de Vontade: 10

Perturbações: “O que seria megalomania em uma criatura pequena?”

Livro Fonte: VTM: Children of the Night, p. 88-91

Referências

  1.  VTM: Clan Novel Saga Volume 4: End Games
  2. ↑ V20: Lore of the Clans, p. 17, 22
  3. ↑ Unpublished text from Clanbook: Assamite Revised
  • VTM: Clanbook: Assamite Revised, p. 13-14 Buy it from DriveThruRPG!
  • VTM: Nights of Prophecy, p. 10
  • V20: Beckett’s Jyhad Diary – “Schism”
você pode gostar também
error: Opa! Quer usar nosso conteudo em algum ligar? Manda um Link pra essa pagina! Obrigado!